Category Archives: Sindicalismo

Lista de tarefas: Planeje sua marcha sobre seu Patrão




Esta postagem tem um tom mais conciliatório e menos insurgente, porquê o
momento exige. É uma tradução do trabalho de Ryan Olds para o
Labor Notes
(Notas sobre Trabalho):

http://labornotes.org/blogs/2018/06/worksheet-plan-your-march-boss

(arquivado em
https://web.archive.org/web/20180611171330/http://labornotes.org/blogs/2018/06/worksheet-plan-your-march-boss).


Marchas sobre o patrão vem em diferentes sabores. Algumas são espontâneas, como na história de Auriana Fabricatore (supervisora numa linha de produção de alimentos) onde uma “mini-marcha” obtém grandes resultados. Ela foi esperta em encorajar seus colegas de trabalho a confrontar o chefe imediatamente, enquanto eles estavam inflamados com a fúria dos justos  – se eles tivessem agendado para a próxima semana, os tremores nervosos poderiam se estabelecer.

Em outros casos você vai querer planejar, para conseguir mais pessoas e maximizar impacto. Sua ação deve ser bem planejada mas rápida, antes que a gerência descubra ou os membros percam interesse.

O tom do confrontamento pode variar também, dependendo da cultura do seu trabalho, de quão fortemente os seus colegas sentem a questão, e e de como eles sentem o chefe. Você pode querer um toque mais leve – colocar o seu ponto respeitosamente, tentando sentar para uma reunião, ou entregando documentos para apreciação do chefe. Ou o seu grupo pode estar pronto para um tom mais agressivo – demonstração de ira, bloquear as saídas de forma que o chefe não possa fugir, e sincronizar a marcha para desestabilizar as operações.

Enquanto se prepara, revise os seguintes pontos enquanto grupo:

  1. Recrutamento:
    Quem deve estar lá? Quem é afetado pelo problema? Inclua uma
    intersecção de tipos e turnos de trabalho (todos as combinações de
    turnos e tipos devem estar representados).
  2. Alvo:
    Quem você vai confrontar? Comece com o nível mais baixo de gerência
    que tem poder para resolver o problema. Se eles não recuarem, você
    pode (e deve) escalar a partir daí.
  3. Hora e Local:
    Onde e quando você vai realizar o confronto? Você quer que o máximo
    possível de trabalhadores participem, enquanto ainda existe condições
    de capturar seu alvo. Também considere o que vai causar maior impacto
    nas operações e na psiquê do chefe. Existe algo de importante você
    possa desestabilizar?
  4. Materiais:
    Que materiais você vai entregar? Além da sua demanda, você quer trazer
    evidências, cartazes, material criativo?
  5. Mensagem:
    Defina o problema e que exemplos você vai dar. Decidam (no plural)
    sobre sua demanda e qual o prazo para resolução.
  6. Antecipar as Respostas:
    O quê eles podem dizer? O que você pode dizer de volta?
  7. Conhecer seus Direitos:
    Além de serem um direito natural, marchas sobre o patrão são
    protegidas pela lei trabalhista. Um grupo confrontando o chefe unido
    tem mais proteção legal do quê alguém agindo sozinho, mesmo que esse
    alguém seja um capataz , supervisor ou outro líder. Use palavras como
    “nós” e “o sindicato” para deixar claro que você fala pelos
    companheiros de trabalho também.
  8. Papéis:
    Alguém deve se voluntariar à liderar as coisas, e estar pronto para
    dizer ao gerente para não interrromper os companheiros. Outros devem
    descrever o problema e contar suas próprias histórias sobre como o
    problema os afeta. Você pode usar um olheiro para checar se o chefe
    está no lugar apropriando antes da marcha.
  9. Plano B (Backup):
    O que você vai fazer se não encontrar a pessoa alvo? Qual o alvo no
    Plano B?
  10. Debriefing:
    Debriefing é uma expressão militar para quando os comandantes ouvem o
    relato dos soldados sobre o que aconteceu no campo de batalha.

    Imediatamente após a marcha, seu grupo deve se agregar em um lugar
    fora das vistas e das orelhas do chefe e reagir ao que acabou de
    acontecer. Os companheiros podem estar excitados, confusos ou
    desapontados com o evento. Eleve os ânimos de todos, encontre os
    positivos – mesmo se vocês não capturaram seu alvo, vocês mandaram uma
    mensagem – e achem um acordo sobre os próximos passos.